post-image

Racismo

O RACISMO CIENTÍFICO: UM OLHAR CRÍTICO SOBRE A CIÊNCIA

Estudante: Gabriella Ribeiro dos Santos

Professor orientador: Ricardo Ferreira Machado

Pensamentos sobre a ciência

A ideia de que a ciência é neutra e sempre busca o bem de todos é muito comum na sociedade. No entanto, a ciência tem promovido ao longo da história atos que atentam contra a dignidade da pessoa humana, sobretudo quando se discute as questões raciais. Por essa razão, promover um olhar crítico sobre a ciência se faz importante quando se discute as relações raciais no Brasil.

Nosso país é caracterizado historicamente pelo racismo enquanto mecanismo de legitimação de violências contra as populações negras e indígenas. Os corpos dessas pessoas são objetificados e rotulados como seres naturalmente inferiores aos brancos.

Dentro da ciência, os conhecimentos de Charles Darwin foram fundamentais para a legitimação das hierarquias raciais presentes no Brasil. A ciência passou a dar sustentação científica à suposta inferioridade biológica das raças negras e indígenas.

Embora Darwin tenha revolucionado o pensamento da Biologia, com a teoria da evolução pela Seleção Natural, em seu livro 'origem das espécies', sua visão racista sobre evolução humana teve muitas implicações para a história. Alguns seres têm propriedades que os tornam mais aptos para sobreviverem, evoluindo e transmitindo as características aos seres descendentes. Darwin concluiu que as criaturas da fauna e da flora que não se adaptam ao meio em que vivem, estão fadadas ao desaparecimento (SANTOS, 2014).

Essa teoria se refere ao universo da vida biológica em nosso planeta e em nenhum momento Darwin se arrisca em interpretações sociológicas humana. O que implicaria em classificar a diversidade humana de modo hierárquico, considerando algumas raças mais evoluídas e outras mais atrasadas.

Na figura abaixo podemos observar uma comparação entre diferentes tipos de crânios, de modo que alguns eram mais evoluídos e outros eram compreendidos como menos evoluídos, sendo mais próximos dos macacos do que do homem branco.

img

Essa compreensão hierárquica sobre a evolução humana possibilitou interpretações que utilizavam a teoria de Darwin como instrumento de análise do social. Ideologias racistas e preconceituosas que visavam explicar e legitimar, de maneira determinista, a desigualdade em um sistema capitalista que alega ter igualdade (SANTOS, 2014).

As ideias criadas pelo Darwinismo social acreditam que as sociedades evoluem naturalmente de um estágio inferior para os estágios superiores e mais complexos de organização social.

Assim, as pessoas que se dizem civilizadas, como os europeus, têm o 'dever' de ocupar, dominar e explorar as culturas 'mais atrasadas', com o intuito de levá-los ao desenvolvimento e progresso aos estágios superiores de civilização. No Brasil, não faltaram as pessoas que dissertaram sobre e agiram sobre o Darwinismo social, em prol de serviços dominantes, nações estrangeiras, grupos racista e etc.

Referências

SANTOS, R. Darwinismo social, racismo e dominação – Uma visão geral. Disponível em: https://www.geledes.org.br/darwinismo-social-racismo-e-dominacao-uma-visao-geral/

Gabriella Ribeiro dos Santos escreveu o texto quando cursava o primeiro ano do ensino médio no Colégio Estadual Luiz Viana Filho

Ricardo Ferreira Machado é professor de Biologia no Colégio Estadual Luiz Viana Filho

Publicado em: 18/09/2020 às 2:54