post-image

Setembro Amarelo

A depressão: Obstáculos e consequências


Cecília Souto
Hellen de Souza

O que é depressão?


A depressão ou o transtorno depressivo maior é uma grave doença que afeta negativamente a forma de pensar, agir e sentir das pessoas. Existe há mais de 2.000 anos, quando já havia registros das primeiras características depressivas; Hipócrates a denominou de melancolia em meados de 4 antes de Cristo.


Essa mudança no comportamento pode ser notória ou não. Na maioria das vezes, os principais sentimentos perceptíveis são a tristeza e o desânimo. Porém, existem pessoas que nós nem imaginamos que passam por esse difícil transtorno. Felizmente, existem tratamentos específicos.


Sintomas

Tristeza ou humor deprimido;


Perda de interesse ou prazer em atividades antes apreciadas;


Alterações no apetite – perda de peso ou ganho não relacionado à dieta;


Problemas para dormir (insônia) ou dormir demais;


Perda de energia ou aumento da fadiga;


Baixa autoestima e presença de sentimentos de culpa;


Dificuldade para pensar, concentrar ou tomar decisões;


Pensamentos de morte ou suicídio.


Os sintomas devem durar pelo menos duas semanas para um diagnóstico de depressão.


Um dos maiores obstáculos para quem tem a depressão: O preconceito

Um dos maiores obstáculos para quem sofre com essa doença é o preconceito que gira em torno dela. As pessoas costumam comparar a depressão com um momento de tristeza, já que a tristeza é o sintoma mais notório e aparece antes do motivo, mas na verdade, ela é bem pior do que isso. Quando se tem esse transtorno, na maioria das vezes, não se sabe o verdadeiro motivo da angústia e dos sentimentos negativos que cercam a pessoa, e, até que a mesma possa perceber que está realmente doente, já passou muito tempo e ela já sofreu demais.


É muito comum o julgamento dos familiares, achando que é “frescura” ou algo do tipo, dificultando ainda mais a saúde mental dessa pessoa. Por isso, é importante ressaltar que depressão não é fraqueza moral, não é falta de caráter, não é falta de ter o que fazer. É uma doença que pode acontecer com qualquer um.


O apoio das pessoas mais próximas é de extrema importância, porém muitas vezes a ignorância faz com que quem sofre da doença seja taxado de fraco, preguiçoso, e muitas outras coisas do tipo. Extremamente perigoso, pois o tempo é o inimigo crítico, se ninguém notar a necessidade de ajuda médica o mais breve possível, os danos estarão cada vez mais avançados.


Consequências de não buscar por ajuda de um profissional


Existem dois principais tipos de tratamento para a depressão.


São eles: uso de medicamentos (só pode ser indicado por um médico, na maioria das vezes, um psiquiatra) e a terapia (indicado para todos os tipos de tensões e transtornos psíquicos).


O tratamento deve ser feito de forma cautelosa e é um processo lento. Se não tratada corretamente, a depressão poderá trazer outros graves problemas. A deficiência do sistema imunológico pode ser uma consequência grave, deixando o organismo sem proteção para várias infecções, doenças cardiovasculares e autoimunes, como lúpus e diabetes.


As consequências sociais também podem ser desastrosas, agravando ainda mais o quadro: problemas nos relacionamentos afetivos, desemprego, isolamento social, tendências a vícios como o alcoolismo e outras drogas.


Em caso de sintomas de depressão, procure a ajuda de um profissional habilitado. O Ministério da Saúde divulga os seguintes endereços para ajuda:


CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da Família, Postos e Centros de Saúde).


UPA 24H, SAMU 192, Pronto Socorro;


Hospitais;


Centro de Valorização da Vida – 188 (ligação gratuita). O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail, chat, 24 horas por dia, todos os dias. A ligação para o CVV em parceria com o SUS, por meio do número 188, é gratuita a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular.


Cecília Souto e Hellen de Souza são alunas do 1º ano dos cursos de Informática e Biocombustíveis respectivamente do IFBA – campus Irecê.

Publicado em: 28/09/2020 às 23:09